O caso dos dez negrinhos, ou dos dez indiozinhos, ou do um que sobrou...

Um das taras do politicamente conveniente é re-escrever o passado. Não contente em querer normatizar nosso comportamento no presente, eles querem também apagar nossa memória. Em 1984, Orwell já mostrava como a alteração do passado é a chave para definir o futuro.

Agatha Christie é uma dos meus escritores favoritos. Um de seus clássicos absolutos foi escrito em 1939 e chamava-se "Ten Little Niggers". O título fazia referência a 1o estatuetas de nativos africanos e um poema que pautava a estória.

O livro foi editado pela primeira vez nos Estados Unidos em 1940 com o título de "And Then There Were None", um curioso caso de tradução para o inglês de um título escrito... em inglês! Creio que em 1940 não havia nos ainda na América o ativismo político. Não sei se o título foi trocado por razões comerciais (americanos nunca foram muito bom em entender sutilezas) ou se foi para evitar qualquer conotação racista.

O fato é que o título nos Estados Unidos foi trocado, coisa que nunca aconteceu no Brasil. O título em português sempre foi "O caso dos dez negrinhos".

É bom ressaltar que Agatha Christie não fazia qualquer alusão racial. Tratava-se apenas de um conjunto de imagens, propositalmente fora de cultura européia para contribuir com o mistério da trama. Do mesmo jeito que eram 10 negrinhos, poderia ser 10 índios ou 10 esquimós.

Aliás, a versão americana para o cinema foi "Ten Littel Indians".

Os americanos foram obrigados também a trocar o poema pois este fazia referência o tempo todo aos "little niggers". Transformaram-se em "Ten soldiers boy". A obra da artista foi modificada para atender aos padrões do politicamente correto.

Fiquei sabendo agora que a patrulha finalmente conseguiu trocar o nome em português. Não se edita mais "O Caso dos Dez Negrinhos", nome que acompanha a obra a simplesmente a quase 70 anos. O livro agora é publicado com o nome de "E Não sobrou nenhum".

A patrulha do politicamente conveniente decidiu que o título original era ofensivo ao negro, como se milhares de negros brasileiros não tivessem se deliciado com esta obra clássica. Aliás, desafio qualquer um a encontrar uma única linha escrita por Christie que tivesse a menor conotação racista. Não acharão.

O maior problema do politicamente conveniente é que coíbe nossa capacidade de pensar, de nos aproximar da verdade. Na cabeça de seus criadores o homem é um animal irracional que deve ser conduzido pelo cabresto. Foi assim que Greedo se tornou o pior atirador da galáxia e Indiana Jones teve uma cena memorável mutilada em Os Caçadores da Arca Perdido. E o lado negro da força se tornou "lado sombrio da força".

Pois mexeu com Agatha Christie, mexeu comigo! Fiquei furioso por conta desta ousadia. Acho que é o fim da humanidade mesmo, só o texto de São João para dar cabo deste bando!

Em solene protesto contra a heresia de mexer na obra da grande dama do mistério, publico aqui o poema do livro. TEN LITTLE NIGGERS! E que os "politicamente convenientes" vão todos para a...


Ten Little Niggers


Ten little nigger boys went out to dine;

One choked his little self and then there were Nine.

Nine little nigger boys sat up very late;

One overslept himself and then there were Eight.

Eight little nigger boys travelling in Devon;

One said he'd stay there and then there were Seven.

Seven little nigger boys chopping up sticks;

One chopped himself in halves and then there were Six.

Six little nigger boys playing with a hive;

A bumble bee stung one and then there were Five.

Five little nigger boys going in for law;

One got into Chancery and then there were Four.

Four little nigger boys going out to sea;

A red herring swallowed one and then there were Three.

Three little nigger boys walking in the Zoo;

A big bear hugged one and then there were Two.

Two little nigger boys sitting in the sun;

One got frizzled up and then there was One.

One little nigger boy left all alone;

He went out and hanged himself and then there were None


Fevereiro, 2009

u© MARCOS JUNIOR 2013