Orígenes Lessa

O Feijão e o Sonho

Juca tem uma grande paixão na vida, a poesia. Nada é mais importante para ele do que escrever poemas e seu projeto de vida encontra-se inteiramente voltado para este fim, dedicando-se de corpo e alma. Nenhum outro ofício o interessa, nem mesmo o de professor de uma pequena escola em uma cidade do interior paulista, aliás o único.


O grande problema e dilema de Juca é manter a sua própria família. Juca casou-se, tem filhos. Pouco dinheiro ganhou com a poesia, menos ainda com o jornalismo. Seus filhos passam fome, a esposa tenta fazer milagres com o pouco que tem. A grande questão do livro de Orígenes Lessa é esta: até onde pode ir um homem por seu sonho mais íntimo? Pode sacrificar as pessoas que lhe são mais caras? Deve esquecer o que considera ser sua vocação para viver uma vida burocrática?


Praticamente todo o romance se passa no embate entre o sonhador Juca e sua esposa, a realista ao extremo Maria Rosa. Ela não consegue aceitar que tenha que viver na miséria junto com os filhos para que o marido dedique seu tempo e seu esforço para perseguir seu grande sonho. Ela simplesmente não o compreende, da mesma maneira que Juca não consegue compreender porque a esposa dá mais valor a pagar suas contas no mercado do que uma estátua grega. Em muitos momentos a comunicação é rompida, falam idiomas diferentes.


Juca e Maria Rosa são ampliações do dilema que muitas pessoas sentem em seu íntimo ao longo da vida. Possuem um sonho e a vontade de realizá-lo, no entanto a vida coloca obstáculos a todo momento. Devem ir atá o fim? Ou existe um ponto que devem aceitar e mudar o projeto que cada um tem para si?


Particularmente acho que o homem deve cumprir com todas as suas obrigações para com a sociedade, principalmente as que contraiu por vontade própria. Ninguém obrigou Juca a casar, muito menos a ter filhos. Sustentá-los é uma obrigação sua ou não casasse. O que não se pode é fugir de responsalidades assumidas, mesmo que atinjam o nosso projeto pessoal. Também ninguém deve se anular totalmente, uma família jamais pode ser uma prisão ou um estorvo.


Uma pena que Lessa tenha optado pela solução fácil e feito Juca ter sucesso no fim. Ficou a impressão que valeu a pena ter negligenciado os filhos e a esposa, obtendo a tão sonhada recompensa. O próprio Juca admite no fim que não chegou a conhecer os próprios filhos e era um estranho em sua própria casa. É um preço a se pagar por deixar o mundo real e as pessoas que amamos na procura de nossos desejos, muitas vezes frutos de nosso egoísmo.


u© MARCOS JUNIOR 2013