As Sete Regras do Amor (2006)

Lucky 7 (2006)

Direção: Harry Winer

Com: Kimberly Williams, Patrick Dempsey, Gail O´Grady.


Faz muito, muito tempos mesmo, que não assistia um romance tão bom. As 7 Regras do Amor surpreende pela forma como a história se desenrola, com sensibilidade e, sobretudo, uma atuação impecável de Dempsey e Williams.

Confesso que quando li a sinopse e assisti os primeiros minutos não me empolguei muito. O final já se mostrava evidente e aparentemente as situações reviveriam os chavões do gênero. Ledo engano. Sim, o final pode ser óbvio, mas a forma com que se chega lá é um dos pontos altos da película.

A mão de Amy, já doente, em seu último dia de vida, desenha para a filha de 7 anos uma linha de seus acontecimentos futuros. Está tudo lá; faculdade de direito, férias na Europa, e, sobretudo, os 7 namorados. Amy segue fielmente o roteiro traçado por sua mão, e confere a isto todo o sucesso de sua vida. Finalmente conhece Daniel e chega a conclusão que é o homem de sua vida. O único problema: ele é o número 6. Para resolver o problema aceita o convite de um padeiro, Peter, para acompanhá-lo a um casamento. Seu plano é transformá-lo no número 6 para deixar Daniel para o número 6. Para deixar o plano ainda mais perfeito, na viagem para o casamento, Peter pede que Amy se passe por sua namorada, para evitar o sentimento de pena de seus amigos pois fora abandonado no altar um ano antes.

O filme não trata apenas do romance, mas também de falsas ilusões e, principalmente, na falsa noção de felicidade. A vida de sucesso de Amy começa a se mostrar uma grande farsa, à medida que no fim de semana percebe que não é feliz na profissão que escolheu. Uma vida planejada nos detalhes, seguindo listas na agenda, revelam uma fuga constante das incertezas da vida, e do amor.

Na melhor cena do filme, em sua última tarde, Peter e Amy conversam em uma cafeteria. Amy explica a ele porque não podem ter um romance e, com delicadesa, ele mostra as contradições do plano dela. É uma cena com silêncios que revelam muito mais do que palavras.

Amy deve se apaixona por Peter, que agora é o número 6. Daniel, o homem que ela considerava perfeito, torna-se o número 7. Não é apenas a escolha de um amor, mas de sua


(outubro 2007)

u© MARCOS JUNIOR 2013