Eu sei que vou te amar (1986)

2009_1057_Eu_seu_que_vou_te_amar_990555823

Eu sei que Vou te Amar tem muito a ver com uma determinada fase da minha vida; na verdade, de um amor que eu já tive. Quando o personagem de Thales Pan Chacon afirma "você simplesmente deixou de me amar", senti aquela dor no estômago de recordações nem um pouco agradáveis retornando. Levantei da cadeira e constatei o óbvio: este cara sou eu! Ou melhor, esta cara fui eu.

A primeira vez que vi este filme, tinha 14 anos. Nesta idade estava mais preocupado em ver a Fernanda Torres nua do que qualquer outra coisa. Diga-se de passagem que ela estava linda no filme e ganhou o maior prêmio da sua carreira, melhor atriz no Festival de Cannes. Na visão de um adolecente, tratava-se de um filme muito chato.

O tempo passa e vinte anos depois estou diante do mesmo filme, só que agora de um outro ponto de observação, acentado em experiências reais vividas e uma bagagem de reflexão de mundo que estas duas décadas trazem. É sempre um prazer assistir uma obra como essa através de novos olhos e descobrir o quanto somos ingênuos em nossa juventude.

O filme é muito bom e o diálogo de Jabour inspiradíssimo. Explora a relação entre uma mulher amorosa e um homem incapaz de amar, entre uma mulher que quer exteriorizar seu amor e um homem que tem medo do que sente. Explora a traição e como afeta de maneira diferente homens e mulheres. Para Jabour, não tem essa de homens e mulheres serem iguais. Sentem de maneira diferente, agem de maneira diferente. O homem trai sem deixar de amar. A mulher deixa de amar e trai. Por isso Thales grita que ela simplesmente deixou de amá-lo, e é verdade.

Ele sabia que estava sendo traído mas não queria confrontar-se com a verdade porque sabia que seria o fim de tudo. Sentia como se uma guilhotina estivesse sobre sua cabeça o tempo todo, pronta para decepá-la. Já estive ali. E foi exatamente como me sentir por pouco mais de um ano. Até que ela decepou-me a cabeça.

Já ele tinha medo do próprio sentimento, de entregar-se por inteiro a uma mulher. O amor pode ser aterrador quando não compreendido. O personagem de Thales temia desaparecer como pessoa diante da força de seus próprios sentimentos e talvez por isso tenha lutando contra ele.

Eu sei que vou te amar é um grande filme porque além de belíssimo, trata com sensibilidade e inteligência o amor entre duas pessoas. Um amor que longe de ser perfeito é intenso e verdadeiro. Sim, o amor pode trazer sofrimento. Mas é bem melhor do que não ter amado.


Abril, 2009

u© MARCOS JUNIOR 2013