Juno (2007)

juno

Neste filme americano-canadense, Jason Reitman e Diablo Cody apresentam a estória de uma adolescente que se descobre grávida. A partir daí fogem de todo o esteriótipo da situação e contam com maestria a saga de Juno e sua gravidez.

Juno é uma adolescente bem resolvida, sem problemas existenciais. Está em paz com sua vida, seu namorado, e descobre que está gravida. Considera que não tem a menor estrutura para criar este filho e, de início, escolhe a solução mais fácil, o aborto.

A clínica não é mostrada na glamorização que se faz no cinema. Não há mulheres compreensivas ali, a atendente trata Juno quase com desdém. O ambiente é horrível e Juno desiste. Resolve partir para uma solução mais difícil, gerar a criança e entregá-la para adoção.

Quando conta para o pai ele não explode. Apesar de surpreso, de imediato dá seu apoio para a filha. É um pai liberal, mas que durante todo o filme se mantém distante da filha. Seu maior apoio vem da madrasta neurótica por cachorros. Se dependesse dela, Juno criaria a criança.

Juno conhece o casal. Simpatiza com o personagem de Jason Bateman. Já Vanessa é uma mulher meio neurótica por organização, um oposto da bagunça adolescente que é Juno. Mas a menina não faz juízo de valor, acredita que serão os pais perfeitos para seu filho. O problema é que sem saber desencadeia em Mark uma crise existencial que o faz perceber que possui sonhos que nunca poderá alcançar, levando-o à separação.

Outro personagem memorável é o namorado Bleeker. Esqueça todos os nerds já visto no cinema, este é marcante. Não é um incompreendido, não é perseguido por colegas valentões, é apenas um rapaz tímido que se comunica com dificuldades. Não possui talento especial e contrariando todo esteriótipo, é um atleta. Um atleta nerd. Isso sim e uma baita novidade.

A maior inversão do filme é o fato de Juno ser de longe a mais sensata no processo todo, tratando com ironia e bom senso as situações que vão sendo criadas. Age assim até o fim. A garota que termina a gravidez esta mais madura, mas essencialmente é a mesma pessoa. Sua vida não sofreu nenhuma reviravolta milagrosa pelo que aconteceu.

É um filme que passa a imagem de que temos que assumir nossas responsabilidades por nossos atos e não tentar fugir delas. Juno fez isso e seguiu em frente. Fez uma escolha individual, sem imposições e foi determinada em seu cumprimento. Trata-se de um filme muito bom feito com honestidade e personagens muito bem desenhados. Mereceu o sucesso que fez.



u© MARCOS JUNIOR 2013