Os Brutos Também Amam (Shane, 1953)

20090311125846!Alan_Ladd_in_Shane

Este é mais um dos filmes que o título em português é um completo equívoco. Impossível tratá-lo por esta bobagem que escolheram para nomeá-lo no Brasil.


Shane conta a estória de um ex-pistoleiro(Alan Ladd) que tenta mudar de vida pois percebe que o oeste já não é mais o mesmo. Uma nova ordem baseada no estado de direito estava sendo implantada, as armas estavam dando lugar ao entendimento e negociação.


Em suas andanças, acaba no rancho de um fazendeiro que resiste à pressão de um rico senhor de terras que deseja construir um enorme pasto. Acaba ficando para ajudá-lo. O motivo não é muito honroso; Shane sente atração pela esposa do fazendeiro(Jean Arthur) e ao longo do filme vive uma tensão constante devido a seus sentimentos. Desejaria a morte do marido? Não se sabe. Até o último momento, Shane recusa-se a usar armas e não interfere, pelo menos de início, a decisão do fazendeiro de enfrentar o senhor local no bar da cidade.


O filme mostra o conflito de um homem que tenta abandonar o pesado fardo que carrega e acaba derrotado. Como diz ao pequeno John, uma vez matado homens, não há mais retorno possível. O ato de matar deixa marcas profundas que deve carregar para o resto da vida e que o impediria de tentar ser uma pessoa normal.


Em um diálogo com o senhor local, Shane diz a ele que seus dias haviam terminado. O fazendeiro retruca dizendo o mesmo do pistoleiro que responde que pelo menos sabia disso. É a tônica do filme. Shane sabe que era a mudança de uma era, que não havia lugar para ele na nova ordem. O fazendeiro lutava contra esta verdade, tentando preservar seus métodos nos novos tempos.


Shane é um dos westerns que definiram o gênero. Seu herói solitário, capaz de amar, em constante conflito íntimo, deixaria uma de suas figuras constantes nos filmes que veriam depois. A cena final, em que se despede do pequeno John e ganha o oeste é um marco. O homem que escolhe a solidão para viver seus dias, o protótipo do herói que não tem mais lugar na sociedade de hoje.

u© MARCOS JUNIOR 2013