Silver Linings Playbook  (2012)

Quantas vezes nos encontramos em situações difíceis e tentamos nos apegar em alguma esperança, algo que nos convença tudo mudará para melhor? Talvez a melhor tradução, ainda que incompleta, para o termo “silver lining” seja tábua de salvação, ou seja, aquela esperança que surge em situações críticas e que temos que nos agarrar nela a despeito de todas as dificuldades.

SilverLinings-3

É o tema deste bom filme de 2012, baseado em romance de mesmo nome. Pat é um rapaz que depois de um surto de violência ao flagrar sua esposa no banheiro com um colega passa 8 meses em uma clínica como parte do acordo judicial. Ao sair, tem que ligar com uma ordem de restrição que o impede de aproximar de Nikki para tentar reatar seu casamento e com o diagnóstico que sofre de transtorno bi-polar, alternando momentos de tristeza e euforia, podendo ter rompantes de violência.

Conhece Tiffany, a irmã da esposa de um amigo, que pode ser um elo de uma possível comunicação com a esposa. O problema é que a moça sofre de depressão pela morte do marido e usa a sexualidade como escape, tendo uma vida promíscua e sem limites. Para conseguir que ela entregue uma carta para Nikki, ele concorda em participar de um concurso de dança com ela, como parte da terapia dela.

Fica evidente desde o primeiro encontro que terminarão juntos, mas de forma alguma a certeza atrapalha o filme. Fugindo de muitos lugares comuns do gênero, o filme consegue ser original e dar uma certa profundidade aos seus protagonistas, que enfrentam apenas a si mesmos para conseguir a felicidade. Todas as pessoas que interagem com eles querem ajudá-los, embora de maneira desordenada e na maioria das vezes de forma pouco eficaz, como os pais de Pat que mais atrapalham que ajudam. 

O que achei mais interessante é que o amor não aparece como solução dos problemas, mas como conseqüência de sua solução. Apenas quanto Pat e Tiffany conseguem superar seus problemas, ajudando o outro, é que abre-se espaço para uma relação saudável e promissora. Os laços de amizade e confiança são a etapa para a manifestação do amor, que transcende a atração sexual evidente que surge no primeiro encontro. No estado lastimável que ambos se encontravam, uma relação amorosa só os prejudicariam ainda mais. Primeiro precisam colocar a cabeça no lugar para depois lidarem com o amor.

Ás vezes apenas o que precisamos para lidar com nossos problemas é ajudar alguém com um problema maior do que o nosso. Essa é a verdadeira silver lining do filme e conselho do psiquiatra indiano que insiste que Pat tenha uma estratégia para superar seu problema. É abstraindo-se do próprio problema e se dedicando a alguém que precisa que adquirem perspectiva da situação o pedem superá-la.

Jennifer Lawrence ganhou o oscar por seu papel, mas foi a atuação de Bradley Cooper que mais me impressionou. A química entre os dois atores é evidente e De Niro exagera na sua conhecida caracterização de descendente de italianos.

Um filme que cumpre seu papel de divertir e que nos dá boas imagens dos problemas que a depressão e desajustes gera na sociedade moderna. Além de um bom romance. 


Quote:

Tiffany: You let me lie to you for a week?

Pat: I was trying to be romantic.



u© MARCOS JUNIOR 2013