Top 5 - Não Ficção (2014)



Modernidade Líquida - Bauman

O sociólogo polonês Zygmunt Bauman caracteriza a época que vivemos como a época de derretimento das instituições tradicionais, e por isso cunhou o termo modernidade líquida(nada mais é sólido). Há um sentimento de mal estar generalizado que levará ao rompimento com o paradigma do estado liberal pois os interesses realmente públicos ficam de lado diante dos interesses particulares, sejam de indivíduos ou grupos, tornando a vida social como conhecemos impossível. O futuro próximo é de confronto e não se sabe o que teremos como resultado. É um livro essencial para refletir sobre as manifestações generalizadas que estão ocorrendo em praticamente todos os países do ocidente.


The Sword of Imagination - Russel Kirk

Russel Kirk foi um homem que remou contra a maré de seu tempo. Sua grande produção intelectual ocorreu nas décadas de 40 a 70, época de predomínio do pensamento liberal americano, que não pode ser confundido com o liberalismo econômico. Buscando resgatar o pensamento conservador do século XIX, Kirk abriu caminho para que o pensamento de Burke, Toqueville e tantos outros voltassem ao mainstream. Pode-se dizer, que sem o trabalho do Kirk, não haveria na América um pensamento conservador moderno, que se sintetizou na ascenção de Ronaldo Reagan à presidencia, mostrando que nada se realiza na política sem um trabalho intelectual anterior, normalmente em algumas décadas. Se Kirk estiver certo, estamos bem ferrados no Brasil. 


O Sinal e o Ruído - Nate Silver

Silver se notabilizou pelo nível impressionante de acertos nas previsões para as eleições americanas. Ele não só é um especialista em estatísticas, como também domina a arte mais difícil, a de conceber modelos para usar a estatística no estudo da realidade e realizar previsões. Nesse livro, ele explora como erros monumentais podem ser feitos baseados em estatísticas, percorrendo um amplo espectro que vai desde o baseball até grandes decisões de estado. É um livro fundamental para nos precavermos contra os números e análises que somos bombardeados todos os dias. E dos especialistas. 


As Idéias Conservadores - João Pereira Coutinho

O rompimento da política brasileira com o conservadorismo é sem precedentes na história do ocidente. Não se conhece exemplo de um país que as teses conservadoras não sejam debatidas politicamente e defendidas por partidos políticos importantes. Preenchendo esse vácuo, Coutinho explica didaticamente para portugueses e brasileiros o que é o pensamento conservador e como ele se destingue do racionarismo, que tem a mesma gênese do pensamento de esquerda. Ao contrário dos dois, o verdadeiro conservador não tem um pensamento ideal da sociedade, seja no passado(reacionário) ou no futuro(socialismo), ele apenas acha que a sociedade pode ser melhor, especialmente se os homens se tornarem melhores.  Uma obra bem concisa e didática, importante para os tempos que vivemos no Brasil.


A Man Search for Meaning - Viktor Frankl

Um pequeno livro maravilho. A tese de Frankl é bem simples, desespero é igual ao sofrimento menos o sentido. Se não vemos sentido no que estamos sofrendo, todo o sofrimento se transforma em desespero. Para Frankl, o sofrimento é inerente à condição humana e o homem moderno vive na ilusão que pode evitar sofrer.  O psicanalista judeu coloca que a essência da condição humana é na verdade buscar sentido para suas experiências e que  tudo é suportável através dessa busca. Para demonstrar sua tese, ele faz uma narração impressionante de sua experiência nos campos de concentração nazistas. Se no meio do inferno da terra, tanto ele quanto outros prisioneiros, mantiveram sua sanidade pela busca do sentido, por que o homem moderno não conseguiria? O resultado foi o seu método revolucionário da logoterapia, que tem como essência ajudar o paciente a buscar o sentido para seu sofrimento. 


u© MARCOS JUNIOR 2013