Hair of the Dog(1975) - Nazareth

Este quarteto escocês formado por Dan McCafferty nos vocais, Manny Charlton na guitarra, Pete Agnew no baixo e Darrell Sweet no início dos anos 70 é muito lembrado no Brasil por seu cover do Everly Brothers “Love Hurts”. A banda acabou meio que rotulada por seu maior hit e muita gente tem dificuldade de acreditar que o Nazareth foi uma banda de Hard Rock. Para esses aqui está o melhor argumento: Hair of The Dog.

Sexto álbum em estúdio da banda, gravado em 1975, no (definição de Manny Charlton) mais barato e sujo estúdio perto de lugar nenhum. Esse foi o primeiro trabalho de Charlton como produtor e o resultado superou todas as expectativas.

hair of the dog

A faixa título é um senhor cartão de apresentação. Um rock com riff genial de Manny e McCafferty dando tudo de si com sua voz rouca. Aliás a banda toda esteve genial nesse disco. Darrell Sweet esteve inspiradíssimo na bateria, dando uma aula de como ser criativo e contido ao mesmo tempo, pontuando muito bem o som da banda, como pode ser visto na visceral Miss Misery.

Guilty é uma baladão, regravação de Randy Newman, única do disco. Changin’ Times é mais um rock direto baseado num riff hipnótico de Manny Charlton.

Um pouco de influência do progressivo pode ser sentida em Beggar’s Day/Rose In The Heather que começa em um rock bem cadenciado e termina com uma guitarra pink floydiana, se é que existe este termo no dicionário!

Após flertar com o Blues em Whiskey Drinki’ Woman o album encerra com Please Don’t Judas Me, a música mais interessante do disco. Alterna riffs de Heavy Metal com uma guitarra acústica sublime de Manny Charlton e a banda toda se solta num rock bem experimental.

A versão americana do álbum substituiu Guilty por Love Hurts, que inicialmente seria lançada como lado B de um single. Jerry Moss, presidente da A&M records for USA e Canadá tinha uma opinião diferente e o resto foi história.

Hair of The Dog foi o grande sucesso da banda e abriu as portas do mercado americano e é um dos grandes momentos do Hard Rock nos anos 70. Vale cada acorde tocado!

u© MARCOS JUNIOR 2013