Idlewild South - 1971

pinturasallman1



Segundo disco de estúdio dos Allman Brothers Band, Idlewild South é para muitos sua obra prima, pelo menos em estúdio.

O primeiro album, The Allman Brothers Band, atraiu boas críticas mas ainda ficou a sensação de que alguma coisa estava faltando. Afinal, a banda já tinha uma senhora reputação em apresentações ao vivo e Duane Allman já gravava com meio mundo da música. A grande questão era trazer aquela química de jam para dentro do estúdio e foi esse o desafio do produtor Tom Dowd, que gravara anteriormente com o Cream, encarou de frente. O resultado foi um estrondoso sucesso.

O álbum abre com Revival, talvez a música mais “pop” que a banda gravou, com um estilo que chega quase a ser dançante. Dickey Betts nos lega a maravilhosa In Memory of Elizabeth Reed, talvez a mais bela instrumental da história do rock e um tributo a Miles Davis. Greg Allman não fica atrás com o puro blues de Midnight Rider, um dos maiores sucessos da banda. No cover de Hoochie Coochie Man, de Willie Dixon, eles mostram que nem só de material próprio vive uma grande banda; aliás esta é considerada a versão definitiva da música. Please Call Home é uma balada blues de primeiríssima qualidade, cortesia de Greg.

A parceria de Duane Allman e Dickey Betts não duraria muito; cerca de um ano depois Duane partiria desta vida. O que estes dois guitarristas tocam juntos nesse album não está no gibi; fazem misérias. Gregg Allman conseguiria seu timbre característico como a voz do rock blues branco, além de seu talento como tecladista. A cozinha com dois bateristas, Butch Trucks e Jai Johnny Joranson, e um senhor baixista, Butch Trucks, também terminaria tragicamente com a morte do último, em 1972.

O que importa é que Idlewild South resultou em um disco enxuto, sem sobras, com peças essenciais que se sucedem mostrando que o Allman Brothers tinha vindo para ficar e que seu nome seria grande na história do rock.


Take one last look, before you leave,

Cause oh, somehow it means so much to me.

And if you’ll ever need me, you know where I’ll be.

So, please, call home if ya change your mind.

Oh, I don’t mind.



u© MARCOS JUNIOR 2013