Rough and Ready (1971) - Jeff Beck Group

A primeira versão do Jeff Beck Group não resistiu à disputa de egos entre o guitarrista e Rod Stewart, que partiu levando Ron Wood para o Faces. Para piorar, Beck teve uma acidente de carro que o deixou um tempo de molho.

Quase dois anos depois, o genial guitarrista voltava com uma banda formada pelo vocalista Bobby Tench, o baixista Clive Chaman, Max Midleton no piano e um gênio que surgia, o baterista Cozy Powell.

O novo trabalho trazia mais influência da música negra americana, com influências de jazz, soul e R & B. O resultado foi uma verdadeira pérola.

jeff_beck-rough_and_ready

O disco começa com Got the Feeling. Guitarra com swing, grande refrão, solo de piano e guitarra, bateria quebrada. Melódica, com o feeling que o título promete. Depois vem Situation, com um raro tema político questionando a contradição da guerra com o fim que supostamente almeja, a paz. Clima mais soturna e com um show a parte de Powell.

Short Business é Beck no velho estilo, rock de primeira, com muita distorção na guitarra. O Lado 1 termina com Max Tune, uma instrumental que combina o piano melódico de Max com a guitarra suave de Beck, mostrando o que os guitarristas modernos perderam ao trocar a melodia pela velocidade.

I’ve Been Used aborda o abandono, da efemeridade de um romance. Baixo distorcido, leve balanço soul. New Ways Train Train é uma excelente canção de rock, com todos os elementos do estilo. Destaque novamente para Powell e um riff de guitarra de Beck que tem sua assinatura.

O disco termina com Jody, um falso baladão conduzido pelo baixo e piano, caindo no jazz-rock. As notas caem todas no lugar certo, sem exageros e o vocal negro de Tench.

O disco inteiro é excelente. A banda se mostrava bem coesa e inspirada para pouco tempo junta. Um dos grandes discos da carreira de Jeff Beck.

u© MARCOS JUNIOR 2013