Aumento de salários e Impostos de importação



O que existe de comum entre aumento de salários e aumento dos impostos de importação?

Nas últimas semanas observamos a intensa movimentação de sindicatos de funcionários públicos em torno de aumento de salários. Interessante que boa parte das categorias em greve pertenciam à elite da burocracia governamental e, por consequência, da elite que recebe salários em todo o país. Exite estudos mostrando que normalmente os que recebem maiores salários são justamente os que mais atuam por aumentos. Um conhecido, que recebe seu salário de cinco dígitos mensais, é um que brada o tempo todo sobre aumento para que possa ter um bom salário. Mas o que é um bom salário? Certamente se ele dobrasse o que ganha, ficaria satisfeito. Mas por quanto tempo? Não estaria ano que vêm fazendo o mesmo discurso?

Pensando em termos mais básicos, para que se pretende o aumento de salário? O dinheiro, por si só, não tem valor. Se ficarmos isolados em uma ilha deserta, no máximo servirá como papel. Seu valor decorre do poder de troca que ele possui, do bem que ele pode adqurir. Quando se argumenta em favor de um aumento de salário, na verdade, o que se pretende é aumentar o acesso a bens que se deseja adquirir. Quem viveu o período de inflação sabe que houve época de aumento de salários mensais, ou seja, muito mais aumentos salariais do que temos hoje. No entanto, ninguém melhorou sua situação por causa disso pois a inflação corroia o poder de compra da moeda pelo aumento dos preços dos bens. Em outras palavras, o acesso aos bens não se alterava, ou alterava muito pouco. Resultado: nenhum aumento de salário era suficente porque essa variável, isolada, não é capaz de resolver nossos problemas. Temos uma equação com duas variáveis: valor do salário e preço dos bens que desejamos adquirir.

Por que então só pensamos em uma dessas variáveis? Por que sindicatos, trabalhadores, funcionários públicos, estão sempre dispostos a se mobilizar por aumento de salários mas nunca levam em consideração que pode-se aumentar o acesso aos bens desejados, ou o poder aquisitivo, sem alterar o salário? Qual é a variável esquecida nesse processo?

Pensemos um pouco sobre o aumento de ontém dos impostos sobre 50 itens de importação. Na prática, o governo decretou que o preço dos bens importados deverá aumentar pois uma das variáveis que define um preço, ou a capacidade de uma determinada empresa ou pessoa ofertá-lo, é a carga de impostos que incide sobre ele. Todos já sabem que uma parte substancial da maioria dos bens e serviços que temos no mercado é composto de impostos. Neste caso, o governo quer aumentar a venda de produtos nacionais para gerar emprego nas nossas indústrias e gerar crescimento econômico. O resultado é que teremos que pagar mais caro por bens que desejamos, uma medida que contribui para diminuir o poder aquisitivo das pessoas.

Pensemos um pouco. Tenho um produto nacional que é vendido a R$ 10,00 e um importado que é vendido a 9,00; isso apesar da carga tributária sobre um importado já ser naturalmente maior. Supondo que o aumento das vendas dos produtos nacionais é desejável para a sociedade porque gera empregos nas indústrias, movimenta a economia, etc. Um argumento contestável, mas supomos que seja verdadeiro. Para aumentar a venda desse produto é preciso que seu preço seja mais competitivo, então o governo age, através da tributação, para tornar o importato mais caro. Não existe outra solução para incentivar essa indústria nacional? Não há como seu preço ser mais competitivo sem aumentar impostos nos importados?

Em resumo, ficam duas perguntas:

1) Como aumentar o poder aquisitivo de uma pessoa sem aumentar seu salário?

2) Como tornar o preço de um produto nacional mais competitivo sem aumentar o do seu concorrente internacional?

Respondendo essas duas perguntas chegaremos a um dos pontos que existe em comum entre salário e imposto de importação e um verdadeiro elefante que existe na sala de todos os brasileiros. Infelizmente nenhum partido político quer defender essa bandeira e isso deveria ser um motivo suficiente para despertar o interesse dos brasileiros. Por que uma causa que seria popular, que tem imenso poder de gerar votos, é ignorado pelos partidos políticos ou defendido apenas oblíquamente?

Reflitam sobre essas duas perguntas e saberão do grande tema escondido da política brasileira.


u© MARCOS JUNIOR 2013