Banco do Brasil

Volta e meia vejo no facebook ou em algum blog aguém feliz cortando seu cartão de um banco privado por estar migrando para um banco estatal, geralmente o Banco do Brasil. Entendem que estão cortando seus laços com capitalistas bancários que os exploram para auferir lucros; afinal, o banqueiro é o que há de pior no sistema. E podem até ter razão neste particular.

20121212-085228

Pessoalmente eu entendo este sentimento pois fiz a mesma coisa, só que no caminho inverso. Há alguns anos cortei meus laços com o Banco do Brasil para migrar para um banco privado.


Foi um pensamento de Bento XVI que me despertou para o problema. Dizia ainda quando Ratzinger que toda escolha econômica é uma escolha moral, o que me fez refletir bastante desde então. Quando vi as digitais do banco de todos os brasileiros nas maracutaias do mensalão e que na prática o banco estava nas mãos do partido da trambicagem, entendi que não poderia fazer parte disso, não importa qual benefício eu tivesse.

20121212-085244

Só falta o Caronte

Quem me conhece sabe que faço de tudo para ficar longe das empresas estatais. Evito abastecer em posto da Petrobrás, usar os correios, fazer operações no BB ou na Caixa. E não compraria ações de uma estatal.

Boa parte dos brasileiros confundem nacionalismo com o estado. Alguém já me disse isso uma vez, que era contra a privatização porque era nacionalista. Pessoalmente tenho um entendimento completamente diferente de patriotismo, mas deixo isso para outra hora.

Retomando ao Banco do Brasil, novamente aparece a instituição metida com a quadrilha em que Marcos Valério era apenas o tesoureiro. Segundo o mineirinho, desesperado porque está pagando a conta praticamente sozinho, tinha que repassar 2% de todos os contratos de publicidade que tinha com o banco para o caixa do PT. Não me surpreende e creio que deva ser uma prática generalizada nas estatais; é só querer procurar. E acho que estes 2% estão subvalorizados. Deve ser mais.

Você que tem dinheiro no BB, o banco de todos os brasileiros, está ajudando a financiar essa gente. A decisão de continuar é toda sua e acredito que muitos concordem com isso; afinal estão ajudando a financiar o novo mundo possível não é mesmo?

Bento XVI estava certo, como sempre. Toda escolha econômica é uma escolha moral. Pense nisso.

u© MARCOS JUNIOR 2013