Salário mínimo, seus efeitos


Para falar dos efeitos do salário mínimo, temos que primeiro entender como funciona a tal lei da oferta e da procura. Sabemos que quando o preço de um produto sobe, diminui a procura por este produto pois menos pessoas estão dispostas a pagar por ele. Quando o preço diminui, ocorre o contrário, como sabe quem já enfrentou aquelas mega liquidações de lojas de departamento. Assim o preço se ajusta para tentar maximizar o produto quantidade vendida x preço, que é a fonte de lucro de uma empresa.

O preço representa o equilíbrio no livre mercado. Quando consideramos a oferta de trabalho e a demanda por trabalho temos um tipo especial de preço, o salário. Quando o valor do salário sobe, mais pessoas estão dispostas a realizar aquele tipo de trabalho, só que menos empresas estão disposta a pagar por ele. A empresa pode decidir por mudar o processo de produção ou simplesmente desativar uma determinada linha de produto por sua elevação de custos. Quando o valor do salário diminui, menos pessoas se apresentam para trabalhar e mais empresas se tornam dispostas a fazê-lo. No fim, temos um salário que equilibra as duas curvas, maximizando o número de pessoas empregadas.

captura-de-tela-2013-03-26-c3a0s-10-30-05

Curva de oferta e procura

 

Saindo da teoria econômica, é fácil ver que existem empregadores que estão no limite da capacidade de pagar um determinado salário. Vamos supor que um determinado empregado acrescenta 100 reais no faturamento da empresa e o salário dele é de 90 reais. Ele é contratado. Suponhamos que uma lei estipule que ele não pode pagar menos que 110 reais por aquele trabalho. Não há saída para o empregador, ele vai demitir o empregado. Ao invés de trabalhar por 90, o preço do equilíbrio, ele não vai trabalhar. O que seria melhor para ele?


captura-de-tela-2013-03-26-c3a0s-10-29-24


Outra questão é que o valor do salário mínimo só afeta os que recebem até este valor. Quem recebe mais não é atingido. É justamente nos que recebem abaixo ou este valor que o desemprego vai incidir, especialmente nos menos capazes. Consultem qualquer livro americano ou europeu, todos vão dizer a mesma coisa, que o desemprego aumentará entre os adolescente pois são estes que trabalham em torno do mínimo.

Em um país em desenvolvimento a coisa é diferente. Um contigente maior da população trabalha por um salário mínimo, nas mais variadas idade, fruto da baixa qualificação da mão-de-obra e o baixo nível educacional. O aumento real do salário mínimo, acima do aumento de produtividade dos trabalhadores, gera desemprego de parte deles. A coisa fica melhor para quem mantém seu emprego, mas piora para os que ficam desempregados.

Não existe mágica em salários. Tentar mudar seu valor por lei é magia, só funciona durante certo tempo e para alguns. No longo prazo, apenas o aumento da produtividade vai gerar aumento real dos salários. Se um governo quer realmente melhorar a situação do seu trabalhador, o caminho é educação, treinamento e tecnologia. Justamente um dos fatores mais estagnados no país.


u© MARCOS JUNIOR 2013