Sobre Patriotismo

A Petrobrás é uma empresa pública. Deve prestar contas para a sociedade dentro da lei vigente.

É papel do poder legislativo fiscalizar o executivo. É papel da oposição a qualquer governo fiscalizá-lo. Para isso a constituinte instituiu a Comissão Parlamentar de Inquérito, instrumento que tornou possível expulsar um presidente da república corrupto, esmiuçar um esquema de corrupção do orçamento e desvendar um sistema de compra de votos no Congresso.

Defender que a Petrobrás não pode ser investigada é inaceitável. Defender que investigá-la é um ato anti-patriota é estupidez. No sentido mais rigoroso do termo.

Patriota é defender a sociedade brasileira, mesmo contra a opressão de um estado perdulário e ineficiente e um governo corrupto. Patriota é desejar que os brasileiros possam, por seus próprios métodos, melhorar suas condições de vida, de norte a sul do país.

Engraçado que os mesmos que defendem que todos os políticos são corruptos, são os mesmos que defendem que as riquezas de uma nação devem ficar no comando... dos políticos!

Será tão anti-patriótico tirar a carga de um estado incompetente de nossas costas para que possamos produzir?

Tirar os incompetentes da burocracia estatal da direção de um dos piores sistemas educacionais do mundo?

Desejar algo mais para nosso povo do que uma compra de votos na forma de esmola oficial?

Defender a liberdade de imprensa?

Defender a alternância de poder?

Defender que o partido do governo entenda que não possui direitos sobre o estado por que ganhou a eleição?

Defender que a constituição e as leis sejam cumpridas?

Defender que o público esteja separado do privado?

Quando foi que defender uma nação, e não o estado, tornou-se tão anti-patriota?


Julho, 2009

u© MARCOS JUNIOR 2013