Jaron Lanier

Gadget, você não é um aplicativo!


Estamos tão acostumados com a cultura tecnológica que poucas vezes paramos para refletir sobre a influência que ela tem sobre nossas vidas. A internet, mp3, facebook, compartilhamento de arquivos, tudo isso é tão presente que não paramos para pensar de onde vieram estes padrões, estas formas de interagir com a tecnologia.

Jaron Lainer é um dos personagens do Vale do Silício, ou seja, é um insider. Foi um dos visionários que na década de 80 ajudaram a criar várias plataformas e paradigmas que usamos até hoje. Agora ele se questiona e coloca para nós a pertinência ou não de uma série de decisões que foram tomadas, boa parte sem o mínimo de reflexão, e que hoje nos limitam ou nos causam uma série de danos. 

Temos a falsa idéia de que se algo na tecnologia não está bom, então um conjunto de gênios mudaria para fazê-lo melhor, ou seja, que o que temos é o melhor possível. Não é bem assim, como Lanier explica, o custo para mudar uma plataforma ou uma solução pode ser impeditivo, ou trabalhoso o suficiente, para alterá-la. Melhor deixar como está.

Como o compartilhamento de arquivos está afetando a classe média artística? O que gerou efetivamente a cultura digital? O que a decisão, baseado nas paranóias da guerra fria, pelo anonimato na rede gera de problemas? O que um novo tipo de conhecimento, baseado na multidão, provoca em nossa cultura? Como a facilidade de cálculo e rapidez nos processos afeta o mercado financeiro?

Lanier é bastante crítico sobre estas questões, aponta algumas soluções e uma série de dúvidas. Tenho me interessado pelo assunto ultimamente e este livro é uma boa fonte de informações e colocação de perguntas para investigação. Realmente, estamos tão imersos na tecnologia e suas possibilidades que não pensamos nem nas suas limitações, nos seus efeitos indesejados, e muito menos na sua influência cultural.


u© MARCOS JUNIOR 2013